• Lattualita

    GERAL

    Moradora reclama de rua alagada no bairro Santini

    São-marquense pede que a prefeitura realize manutenção na Rua Juvenil José Vanelli, para evitar alagamentos em dias de chuva

    2 dias atrás

A são-marquense Noema Luz, 25 anos, procurou a reportagem do L’Attualità na tarde desta quarta-feira, 16 de setembro, para reclamar da situação de alagamento na Rua Juvenil José Vanelli, no bairro Santini, onde está localizada a sua casa. Conforme relata a moradora, a prefeitura de São Marcos já realizou colocação de cascalho no local, mas não resolveu o problema. “Faz uma semana que a rua está desse jeito (confira no vídeo abaixo). O meu marido chegou a ficar com o carro atolado ali e não conseguia ir trabalhar. E eu passo todo dia por ali. Saio às 8h e chego às 18h, trabalho como auxiliar de cozinha. E eu não vou passar pela porta da casa do vizinho para cortar caminho. Eu pedi cascalho e a prefeitura trouxe, só que foi pouco. Precisamos de mais cascalho para passar por essa rua. Em dia de chuva é assim, a rua fica nessa situação”, relata Noema Luz.

A moradora detalha que a rua é de difícil acesso. “A estrada em que se entra para vir para a rua onde eu moro fica entre duas casas, uma verde e outra marrom, de madeira, que fizeram há pouco tempo. Parece que não, porque é bem escondida, mas tem uma ruazinha que desce aqui embaixo para a minha casa. No meio da estrada tem até uma betoneira com cascalho do lado. O número da minha casa é 125, nos fundos”, explica Noema.

Moradora pede colocação de mais cascalho em rua alagada no bairro Santini

‘Já faz muito tempo que pedimos para a prefeitura arrumar a estrada e ninguém vem’

Ela destaca que o problema dos alagamentos na Rua Juvenil José Vanelli já é antigo. “A gente mora aqui embaixo e já faz muito tempo que pedimos para a prefeitura arrumar a estrada e ninguém vem, só mandam cascalho. E ainda tem que implorar duas ou três vezes para virem espalhar o cascalho pra gente, porque não temos condições de pagar uma máquina. Eu só queria mais cascalho e que viessem espalhar na rua inteira, porque só na metade não adianta! Como é que vou passar nessa rua com meu filho para levar no médico? O táxi não vem até aqui, porque não consegue sair depois”, revela Noema Luz.